sexta-feira, 22 de agosto de 2014

>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Pequenas Lições <<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<
>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Mateus 13.3-9 <<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<
****************************** “E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: >>> Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.” ***********************************************************
>>> Os pais foram convidados a vir à escola para dialogar sobre seus filhos. Certo pai explicou, com seu jeito humilde, que ele, devido à sua profissão (era representante comercial) não tinha muito tempo para falar com o filho, nem vê-lo, durante a semana. Saía para trabalhar muito cedo, quando seu filho ainda estava dormindo. Ao retornar do serviço, já era muito tarde. E, o garoto não estava mais acordado. Explicou, ainda, que não havia jeito… Ele tinha de trabalhar para prover o sustento da família. Mas, contou também que isso o deixava angustiado. Por não ter tempo para o filho, tentava se redimir indo beijá-lo todas as noites ao chegar em casa. E, para que o filho soubesse da sua presença, dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava, vendo o nó, sabia, então, que o pai tinha estado ali e o havia beijado.
>>> O nó era o meio de comunicação entre eles. A diretora da escola ficou surpresa e emocionada quando constatou que o filho desse pai era um dos “melhores” alunos da escola.
>>> Tal fato nos faz refletir sobre as muitas maneiras das pessoas se fazerem presentes, de se comunicarem com os outros. Aquele pai encontrou a sua, que era simples e eficiente. E, o mais importante é que o filho percebia, através do “nó afetivo”, o que o pai estava lhe dizendo. Por vezes, nos importamos tanto com a forma de dizer as coisas e esquecemos o principal, que é a comunicação através do sentimento.
>>> Simples gestos como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam, para aquele filho, muito mais que presentes ou desculpas vazias.
>>> É válido que nos preocupemos com as pessoas, mas é mais importante que elas saibam, que elas sintam isso. Para que haja a comunicação é preciso que as pessoas “ouçam” a linguagem do nosso coração, pois, em matéria de afeto, os sentimentos sempre falam mais alto que as palavras.
>>> É por essa razão que um beijo, revestido do mais puro afeto, cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o medo do escuro. Enfim, as pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem registrar um gesto de amor. >>> Mesmo que esse gesto seja apenas um nó. Um nó cheio de afeto e carinho.
************************************** A primeira lição deixo aos pais.
>>> Vivemos num mundo extremamente agitado. É trabalho, estudo… São muitos compromissos. O mundo nos envolve com seus afazeres.
>>> A igreja pode acelerar essa correria. É algo semelhante à parábola do semeador no que se refere à sementinha que caiu em meio aos espinhos. Ela foi sufocada, perdendo a sua força. Facilmente isso pode acontecer conosco.
>>> Perdemos a clareza sobre a importância das coisas. Tudo é importante, mas existem diferentes escalas de valores, diferentes prioridades. A família sempre deve ocupar o segundo lugar.
>>> O lugar mais alto cabe ao nosso Deus. Na parábola a semente é a Palavra de Deus. A minha história apresenta como semente sufocada o amor.
>>> Quando deixamos de amar a Deus acima de tudo, quando deixamos de amar aos nossos queridos, podemos estar entronizando nosso trabalho, ou nossos bens, ou até mesmo podemos nos tornar pessoas egoístas, cujo centro é a nossa própria pessoa. A velha história do… Eu sou o bom! Por isso, mesmo em meio à correria, não se esqueça do Senhor Deus e de sua família.
>>> Pequenos gestos para com a esposa (o) e filhos são necessários e trazem um bom tempero à vida. Por isso, seja criativo e invente seus “nós afetivos”.
****************************************** A segunda lição deixo aos filhos.
>>> A vida dos filhos hoje está tão agitada quanto à dos pais. Por vezes, o filho se fecha em seu espaço, tornando-se cego com respeito a Deus e aos seus familiares. Cria um mundinho próprio, deixando de perceber os pequenos fatos familiares que acontecem à sua volta, os quais por vezes são carregados de afetividade.
>>> Devo dizer que não existe família perfeita, mas também nenhuma família é um inferno. Aos filhos que não enxergam as pequenas atitudes amorosas que perpassam o ambiente familiar, indico como caminho ir ao encontro de Jesus, como aconteceu com Bartimeu, dizendo: Jesus! Eu quero tornar a ver.
>>> Deus tem a capacidade de curar nossa cegueira espiritual. Ele é a luz.
*********************************** A terceira lição deixo à comunidade como um todo.
>>> Dou um passo adiante, passando a falar de nossa família maior na fé. Todos nós temos um único Deus, que é Pai. Por vezes me vejo na situação de chefe querendo determinar o que Deus deve ou não fazer. Faço de Deus um empregado e quero que tudo aconteça segundo minha vontade.
>>> O que difere do Pai Nosso, onde Jesus ensina: Seja feita a tua vontade… >>>Esperamos grandes milagres. Esperamos que todos os nossos pedidos sejam atendidos. Na verdade, se pararmos e observamos com atenção o mundo que nos cerca, veremos “muitos pequenos nós afetivos” que Deus prepara por nós. São bênçãos diárias e cotidianas que escapam de nossos olhos. Os judeus esperavam e esperam um “grande messias”. Jesus veio montado num jumentinho. O profeta >>> Elias esperava revelação no fogo e terremoto, Deus apareceu na leve brisa. É lindo.
Ver a Deus nas pequenas coisas é um exercício diário. Deus se revela e quer se revelar. Deus quer colocar em nosso coração um espírito de gratidão. Por isso, aprenda a parar e observar. Aprenda a dizer: Eu quero ver! Aprenda a agradecer.
>>> Por fim, vale dizer que, na história, a professora constatou que o menino que recebia o “nó afetivo” de seu pai destacava-se dos demais. Ele tinha maior capacidade para aprender e conviver. Se você viver na presença de Deus, você será uma pessoa melhor e mais útil à sociedade. Cristão e bom cidadão!
Deus abençoe sua vida<tenham um otimo sabado e certeza tenho que Deus esta no controle de sua vida ,um forte abraço.
preapa:artigo escrito nesta manha de sabado 16/08/2014 ,um forte abraço
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário