terça-feira, 1 de novembro de 2011


PROCESSOS NA VIDA DE UM LÍDER

Temos um chamado da parte do Pai e para exercermos nossa missão, de forma digna de sermos conhecidos como filhos de Deus, é necessário que façamos a nossa parte. Veremos alguns processos pelos quais temos que passar para solidificar a nossa conquista e nos tornarmos líderes decididos e que não erram a rota:

1. Batalhar pela fé“Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.” (Judas 3)
Quando aceitamos a Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas, uma porção de fé nos foi dada. Porém, no decorrer de nossa caminhada com Cristo, muitas são as situações adversas que temos que enfrentar e para isso nos é necessário crer que ainda que as situações caóticas e as circunstâncias não sejam favoráveis, Yeshua é Aquele que nos guarda e Satanás não pode nos tocar, pois, Somos filhos de Deus e nascemos para vencer.

2. Rejeitar a imoralidade
“...assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.” (Judas 7)
Somente o pecado pode destruir a sua vida e o seu ministério. A Igreja tem que andar em santidade e não pode aceitar menos do que isso. Não é mais hora de esconder as debilidades da alma, os desajustes, pelo contrário, é hora de abrir o coração para receber a cura e ter uma vida transformada.
Temos uma chamada da parte de Deus e para que ela alcance o êxito, por Ele projetado, é necessário buscar cura para as enfermidades através da pessoa do Espírito Santo.

3. Viver em unidade
“Estes, porém, blasfemam de tudo o que não entendem; e, naquilo que compreendem de modo natural, como os seres irracionais, mesmo nisso se corrompem...são nuvens sem água, levadas pelos ventos; são árvores sem folhas nem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas; ondas furiosas do mar, espumando as suas próprias torpezas, estrelas errantes, para as quais tem sido reservado para sempre o negrume das trevas. Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas concupiscências; e a sua boca diz coisas muito arrogantes, adulando pessoas por causa do interesse. Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais vos diziam: Nos últimos tempos haverá escarnecedores, andando segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que causam divisões; são sensuais, e não têm o Espírito.” (Judas 10-19)
A Igreja de Cristo não deve ficar envolvidas em contendas, não deve se levantar contra os ungidos do Senhor; todos os que se levantam contra os ungidos de Deus morrem. A Igreja deve andar em unidade, longe de porfias, disputas e qualquer situação que mão convém a santos.
Você, filho do Deus Altíssimo, foi chamado para andar guiado pelo Espírito Santo e não pelos seus sentimentos. É desejo do coração de Deus que o Seu povo viva em união.

4. Autoconsolidação
“Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. E apiedai-vos de alguns que estão na dúvida, e salvai-os, arrebatando-os do fogo; e de outros tende misericórdia com temor, abominação até a túnica manchada pela carne. Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos ante a sua glória imaculados e jubilosos, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém.” (Judas 20-25)
Conectar-se ao Espírito. Ainda que lhe falte alguém no momento em que, aparentemente, você mais precisa, saiba que você nunca estará só. Mergulhe no rio de Deus e descubra que você estará sempre acompanhado pelo Senhor e é Ele quem o fortalece em todas as batalhas.
Decida, hoje, batalhar pela fé, rejeitar a imoralidade, viver em unidade e se autoconsolidar, pois Jesus pagou um preço muito alto, na cruz, pela sua vida. Conquiste o que é seu por herança


PROCESSOS NA VIDA DE UM LÍDER

Temos um chamado da parte do Pai e para exercermos nossa missão, de forma digna de sermos conhecidos como filhos de Deus, é necessário que façamos a nossa parte. Veremos alguns processos pelos quais temos que passar para solidificar a nossa conquista e nos tornarmos líderes decididos e que não erram a rota:
1. Batalhar pela fé
“Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos.” (Judas 3)
Quando aceitamos a Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas, uma porção de fé nos foi dada. Porém, no decorrer de nossa caminhada com Cristo, muitas são as situações adversas que temos que enfrentar e para isso nos é necessário crer que ainda que as situações caóticas e as circunstâncias não sejam favoráveis, Yeshua é Aquele que nos guarda e Satanás não pode nos tocar, pois, Somos filhos de Deus e nascemos para vencer.
2. Rejeitar a imoralidade
“...assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.” (Judas 7)
Somente o pecado pode destruir a sua vida e o seu ministério. A Igreja tem que andar em santidade e não pode aceitar menos do que isso. Não é mais hora de esconder as debilidades da alma, os desajustes, pelo contrário, é hora de abrir o coração para receber a cura e ter uma vida transformada.
Temos uma chamada da parte de Deus e para que ela alcance o êxito, por Ele projetado, é necessário buscar cura para as enfermidades através da pessoa do Espírito Santo.
3. Viver em unidade
“Estes, porém, blasfemam de tudo o que não entendem; e, naquilo que compreendem de modo natural, como os seres irracionais, mesmo nisso se corrompem...são nuvens sem água, levadas pelos ventos; são árvores sem folhas nem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas; ondas furiosas do mar, espumando as suas próprias torpezas, estrelas errantes, para as quais tem sido reservado para sempre o negrume das trevas. Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas concupiscências; e a sua boca diz coisas muito arrogantes, adulando pessoas por causa do interesse. Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais vos diziam: Nos últimos tempos haverá escarnecedores, andando segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que causam divisões; são sensuais, e não têm o Espírito.” (Judas 10-19)
A Igreja de Cristo não deve ficar envolvidas em contendas, não deve se levantar contra os ungidos do Senhor; todos os que se levantam contra os ungidos de Deus morrem. A Igreja deve andar em unidade, longe de porfias, disputas e qualquer situação que mão convém a santos.
Você, filho do Deus Altíssimo, foi chamado para andar guiado pelo Espírito Santo e não pelos seus sentimentos. É desejo do coração de Deus que o Seu povo viva em união.
4. Autoconsolidação
“Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. E apiedai-vos de alguns que estão na dúvida, e salvai-os, arrebatando-os do fogo; e de outros tende misericórdia com temor, abominação até a túnica manchada pela carne. Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos ante a sua glória imaculados e jubilosos, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém.” (Judas 20-25)
Conectar-se ao Espírito. Ainda que lhe falte alguém no momento em que, aparentemente, você mais precisa, saiba que você nunca estará só. Mergulhe no rio de Deus e descubra que você estará sempre acompanhado pelo Senhor e é Ele quem o fortalece em todas as batalhas.
Decida, hoje, batalhar pela fé, rejeitar a imoralidade, viver em unidade e se autoconsolidar, pois Jesus pagou um preço muito alto, na cruz, pela sua vida. Conquiste o que é seu por herança

Aos ministros e despenseiros

Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel; 1Co 4.1,2. 
O apóstolo Paulo, logo após enfatizar que os ministros em si, nada são, e que é tolice alguém se proclamar adepto de um mestre humano, passou a mostrar qual a verdadeira área de comprometimento de um líder, servo de Deus, responsável na sua casa. 
Ele mostra a importância de os homens nos considerarem ministros e despenseiros. Essa consideração tem a ver com fatos e não suposições, isto é, os homens devem analisar nossa prática e conduta e, sem dúvida, concluir que somos ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.  
Este é um aspecto importante em nossos dias, dias de desconfiança, de descrédito para com a liderança cristã. Repito, a prática realista do nosso trabalho levará os homens a reconhecerem a natureza de nossa função em Cristo como ministros e despenseiros.  
O que é um ministro?
A palavra ministro, hoje, se reveste de alguma importância – Ministro da Economia, Ministro dos Esportes, Ministro de Deus, Ministério de... (região onde nasceu certa denominação), Etc..  Mas, ao mencionar a palavra ministro Paulo se referia ao seu imediato sentido de subordinado, servo, criado, trabalhador manual, um ajudante. Temos um bom esclarecimento a respeito deste assunto em nosso Manual de Ministério da Igreja Cristã da Família.   
Se os homens devem concluir que somos ministros de Cristo, conforme afirma Paulo, seria bom que fizéssemos a nós mesmos a seguinte pergunta:  
·         Que tipo de conduta ou prática levará as pessoas a me considerarem um subordinado, um ajudante, um servo de Cristo?
O que é um despenseiro?
Além disso, os homens devem nos reconhecer como despenseiros. Despenseiro é o guardião da propriedade alheia, administrador de bens que pertence a outros, mordomo, tesoureiro, tutor, gerente ou superintendente de uma casa. O Dr. Shedd comenta que, em relação aos escravos, o despenseiro é um supervisor e, em relação ao Senhor, ele é um servo.   
Este termo é usado para descrever a função de autoridade delegada por Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, Hb 3.6. É a clara percepção de que tudo pertence a Jesus e nós somos seus mordomos ou despenseiros.  
Vale mais uma vez a pergunta:  
·         Que tipo de ação indicará aos homens que sou um despenseiro, um administrador dos bens de Cristo?  
Quais são os bens de Jesus?
Primeiro, são as pessoas compradas por seu sangue e sacrifício.
Estes são os seus maiores bens. Por esta razão somos alertados a não nos apossarmos do rebanho de Deus chamado de “herança”: “nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”, 1Pe 5:3. O rebanho pertence a Jesus e não a nós. A nós nos cabe servir de exemplo porque cada cristão também deverá servir aos outros conforme os dons recebidos, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus, 1Pe 4.10.   
Segundo, são as riquezas dos mistérios de Deus.
Isto significa a Palavra de Deus manifestada através dos dons, capacidades e talentos concedidos pelo Espírito Santo para uso em favor dos outros.  
O que se espera do despenseiro?
Exige-se do despenseiro que seja rigorosamente leal e honesto por uma razão especial: terá acesso irrestrito aos bens e valores de seu Senhor. Essa responsabilidade de cuidar das propriedades de seu patrão não pode ser assumida sem que o despenseiro seja fiel. Aos bispos, Paulo enfatiza que sejam responsáveis e irreprováveis como despenseiros de Deus, Tt 1.7.
Especificamente, o despenseiro cuida da despensa. Despensa é um cômodo onde se guardam os mantimentos. Os mistérios de Deus são nosso alimento, mas, o que é o mistério de Deus? Para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, Cl 2.2; 1.26, 27. Portanto, mistério de Deus tem nome: Jesus Cristo e tudo que a Ele se refere e pertence.  
Com este aspecto em mente Jesus contou a parábola do bom servo a quem ele deu uma séria incumbência: alimentar a todos de sua casa:  
E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração (porção medida de semente ou comida)? Lc 12.42.   
Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o Senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento (alimento, nutrimento) a seu tempo? Mt 24.45    
Em ambos os textos Jesus alerta que o servo mau e infiel, achando que seu senhor iria demorar a voltar, começou a espancar os criados e criadas, a comer e beber e embriagar-se. Estes figuram servos que não cuidam das pessoas, não as amam, não as respeitam. Só se importam de cuidar de si mesmos. Desprezam a distribuição adequada do alimento de Deus, Jesus, o evangelho, as riquezas da Palavra. Estes serão surpreendidos com a volta do Senhor que lhes punirá juntamente com os hipócritas e infiéis. Certamente os que agem desta maneira irresponsável não serão reconhecidos pelos homens como ministros de Cristo nem despenseiros de Deus.   
Amado(a) despenseiro(a) do Senhor  
Você foi chamado(a) para cuidar bem das riquezas de Jesus. Cuide bem das pessoas. Ame-as. Cuide bem em obter a substância genuína da Palavra inspirada pelo Espírito – Jesus, com seus dons - o alimento que fortalece diariamente o rebanho de Deus. Lembre-se que ambos – pessoas e alimento - são dele. Você foi chamado(a) a entrar na despensa de Deus, separar e distribuir o alimento adequado e suficiente para os que estão na casa dele que está sob sua responsabilidade.  
Não é um privilégio? Você não se sente honrado(a) de ter sido escolhido para este serviço? Sim, eu sei, é uma grande responsabilidade! Mas você foi chamado, portanto tem todas as condições e capacitação sobrenatural dadas por Ele. Aprimoremos nossas ações e vamos nos dedicar a fazer isto com maestria. Assim fazendo todas as pessoas ao redor, incluindo os que não conhecem a Deus, vão nos considerar ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.  
É com isto que nós, neste pedaço do Corpo de Cristo, a Igreja RCI//RV estamos comprometidos. 
     

AS METAS PROVAM O LÍDER

TEXTO: Lucas 10:17- 20

VERDADE CENTRAL: As metas nos fazem viver, nos desafiam, nos consolidam.

INTRODUÇÃO: Duas palavras que ouvimos muito são: metas e alvos. Ficar ouvindo alguém nos pedir as metas não é nada confortável para nós, pois elas nos assustam. Mas, ninguém pode dizer que por causa da Visão Celular ficou mais pobre ou não consegue realizar os seus sonhos. Pelo contrário, havia os que nem sonhavam! A Visão despertou o sonho de ganhar vidas, de nos encontrarmos, e de termos um ministério com metas específicas que tragam resultados. O nosso medo das metas vem das referências negativas. Há pessoas que se sentem incomodadas quando começam a ser cobradas pois apresentam deficiência nas relações com os pais e com patrões, e por esta razão, apresentam dificuldades em lidar com as metas dentro da Visão. O que faz alguém rejeitar as metas são os traumas que tem na alma. O líder precisa ser treinado na obediência para cumprir as metas e superar os traumas. O que fazer para que o discípulo cumpra as metas?

1. Ministre amor e segurança e lhe dê metas de trabalho.
TEXTO: João 21: 16 “...Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe:Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas.”

Todo aquele que é amado e está seguro de que seu líder o respeita e o ama cumprirá metas propostas. Mas, quando ele se sente inseguro e a reunião se torna apenas de metas e cobranças, ele não responderá. Ame o discípulo provando que eles são importantes para você. Eles são importantes não porque lhe dão números, mas porque são vidas que valem mais que todo o universo.

2. Tenha um coração simples e mostre simplicidade aos seus discípulos.
TEXTO: Mateus 11: 29 “...aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração...”

Simplicidade é ter um coração acessível e facilitar os caminhos para que os discípulos cheguem a você. Quando isso acontecer, seus discípulos vão lhe amar e se sentir amados. Então, não ficaremos nessa correria louca e obstinada de caça aos 12 e 144. A Visão não trabalha com números, trabalha com vidas.

3. Não trabalhe para somar números.
TEXTO: Lucas 15:7 “...haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende...”

Lembre-se que o resultado que está atrás de você tem carne, pele, osso, cheiro, emoções, nome e precisa ser respeitado. Tenha no coração o mesmo sentimento do coração de Jesus que mesmo sendo seguido por grandes multidões sempre sabia reconhecer o valor específico de cada indivíduo.

4. Lembre que os 12 não são fechamento de grupo, eles são governo.
TEXTO: Lucas 6:13 “...e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos...”

Um governo se relaciona. Tem que ser no mínimo diplomático, senão, não conquista. Precisamos ter a diplomacia do Reino para podermos entregar as metas e os nossos discípulos as cumprirem com alegria.

CONCLUSÃO: As metas não existem para nos assustar, e, sim, nos desafiar. Precisamos delas, pois desatam a nossa liderança e nos levam a descobrir a capacidade que temos, e você tem um grande potencial!

RCI//RV// E não esqueça de membrar-se!!!!
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário