sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ANGIOLOGIA E DEMONOLOGIA


Angiologia segundo a visão:
Romana: Adoração.
Protestante: Mensageiro.

Anjos: São seres espirituais, criados acima da humanidade são incorruptíveis, imortais, possui inteligência, vontade e poder, não ocupa espaço, não são unipresente. São superiores aos homens, eles não pode alterar as leis da natureza, não pode operar milagres porque isso e inerente a Deus.
Os Anjos já existiam antes da criação do mundo?
Uma legião: vai de 3 a 6 mil (exercito romano).
A Bíblia não discute sobre os anjos, apenas relata as aparições dos anjos, quando mencionado para trazer informações de Deus.
Terminologia: Hebraico – Malak; Grego- Angelos Sl 89.5,7; Dn 4.13,17; Lc 2.13; Hb 1.14; Sl 34.7; Cl 1.16; Rm 8.38.
No Livro de Isaias a palavra Senhora dos Exércitos aparece 60 vezes.
O assunto Angiologia e Demonologia esta inserida no estudo da teologia Sistemática..


Anjo da Guarda.
1 – Leia Mt 18.10 e responda: Deus aponta um anjo para cada pessoa na terra?
2 - Podemos orar ou pedir alguma coisa ao anjo da guarda? Isso Traria alguma implicação Bíblica?
3 – Para que haja um livramento a uma pessoa ou, a um povo Deus necessita do intermédio do anjo da guarda?
4 – A doutrina do anjo da guarda não é mais um auxilio psicológico que bíblico?
5 – Quais as Implicações da doutrina do anjo da guarda quando absorvida pelas crianças?
6 – Onde fica o papel do Espírito Santo na vida do crente diante da doutrina do anjo da garda?
7 – A doutrina do anjo da guarda não entra em contato com o atributo da onipresença de Deus?
8 – É mais confortante pensar num anjo invisível perto de nós ou saber que o Deus onipresente sempre cuida de nós Mt 10.29-31.
9 – É certo manter comunicação com os anjos em que se manifeste a nós? Você já teve alguma experiência?
10 – Podemos dar ordens aos anjos ou orar a eles como pessoas intercessoras?


Natureza dos Anjos.

Concílio de Nicéia: 784 dC. Afirmam que os anjos são: Corpos, Luz e Éter baseado em Mt 28.3; Lc 2.9.
Concílio Laterano: 1215 dC. Afirmam que os anjos são: Incorpóreos.
Criados: (Sl 148.2,5; Cl 1.16; Jô 38.7.
Incorpóreos: sem corpos ® Objeção (consideram a idéia de uma natureza puramente espiritual e incorpóreo metafisicamente inconcebível bem como incompatível com a noção de criatura.
Anjos sujeitos a limitações espaciais? Que se move de lugar para lugar visto pelos homens.
Pneumáticos ® Mt 8.16; 123.45; Lc 7.21; 8.2; 11.26; At 19.12.

Ponto de Vista Errôneo.

1º - Emanação (da Deidade) transitória.
2º - Emanações permanentes.
3º - Superstições populares.

O poder dos anjos tem de estar em consonância com o mundo natural e espiritual.
Angelofania: aparições de anjos em forma de homem.
As intervenções dos anjos são intencional mais permitida e ordenada por Deus, é ocasional, momento especial (excepcional).
A única afirmação que podemos afirmar que os anjos foram criados antes do sétimo dia Gn 2.1; Ex 20.11; Ne 9.6.
Não há um texto bíblico explicito que declara quando os anjos foram criados.

Número e Organização dos Anjos: Dt 32.2; Sl 68. 53; Ap 5.11.

1º - Número total é completo? A Bíblia não fala do total de anjos, mais de um exército poderoso de anjos, Mt 26.53, Jesus falou em 12 legiões Ap 5.11 milhões de milhões, milhares de milhares.
Não forma um organismo; não casam não tem filhos, foram feitos em número totais e completos de uma só vez.
2º - Suas ordens: não formam organismo mas estão organizados. Deus é um Deus de ordem, por isso seus anjos estão organizados.

Há diferentes classes de anjos:
Na idade média: as pessoas se achavam inferiores para falar diretamente a Deus, por isso recorriam aos anjos e aos sacerdotes.
Querubins: (Gn 3.24) Guardiões da Arvore da vida (Ap 4.27; Ez 1 ), são representação simbólica serve para demonstrar o poderio dos Querubins, defende o Tabernáculo, o Templo e a descida de Deus na terra.
Sarafins: (Is 6.2,6), são muito semelhantes aos querubins, só diferenciam nas tarefas; servidores, louvores atende ao propósito de reconciliação preparam os homens para se encontrar com Deus.

3º - Principados e Potestades: (Ef 3.10; Cl 2.10) ocupam o lugar de autoridade no mando angelical.
Gabriel e Miguel: mencionado nominalmente.
Gabriel: Homem de Deus ou Herói de Deus Dn 8.16; Lc 1.19-26, alguns dizem que é um ser incriado. (Gabriel serve de intermediário).
Miguel: Quem é como Deus – tem sido interpretado como um designativo a 3º pessoa da trindade, valente guerreiro que protege o povo de Israel.
Arcanjos: (Arché) príncipe chefe, (os testemunho de Jeová afirmam Jesus e o Miguel – Torre de Vigia ), e um meio de negar Jesus (I Ts 4.16).

Serviços Comuns:
a) Louvar continuamente a Deus (Jó 38.7; Sl 103.20).
b) Comunicam e revelam a mensagem de Deus para o homens Gabriel (Lc 1.13-20; 1.26-38).
c)Ministram aos crentes (At 5.19; 12.6-11).
· Conversão (Lc 15.10).
· Nossas necessidades (Hb 1.14). ex: Abraão, Isaque, Filipe, Elizeu.
· Expectadores de nossa vida (I Co 4.9; I Tm 5.21).
· Presente na Igreja (I Co 11.10).
· Na morte (Lc 16.22).

4º - Executam julgamento (2 Rs 19.35; At 12.23), profecias do julgamento (Ap 8.6-9).
5º - Envolvidos na segunda vinda de Jesus Cristo (Mt 25.31; 13.39-42).

Obs: os anjos se manifestam em forma feminina (Zc 5.9-11)

Serviços Extraordinários: coma queda do homem Deus providenciou o meio de resgatar (soteriologia) salvação. Deus vai-se revelando ao homem progressivamente, tendo a sua plenitude de revelação na pessoa de Jesus Cristo. Os anjos estiveram presente na vida dos patriarcas, na entrega da Lei, nascimento de Jesus, Ressurreição e ascensão de Jesus. Os serviços extraordinários só serão retomados na segunda vinda de Jesus Cristo.
Os anjos louvaram o senhor na terra. (Lc 2.13-14).

Anjos Caídos: Zaratustra, profeta que viveu na região que hoje é o Irã em 586 a.C, é considerado o primeiro na criação do diabo.
Para as religiões aa vitória sobe o inimigo só depende de nós.
Bastou apenas uma mordida para que o pecado entrasse na humanidade, para aqueles que cederam a tentação de satanás a sua recompensa e viver eternamente em tormento no ingerno.

Existência de demônios: Rodolfo Bultimar (Teólogo Liberal) teólogo do mitologinação é impossível utilizar energia elétrica no controle remoto.
Jesus e os demônios (Mt 8.28-29; Mc 1.24,34; 3.11-12).
S:E. Mcdelland – acomodação a crença dos camponeses palestinos refletindo sua opinião Jesus fingia.
Negar os demônios é desacreditar a mensagem do evangelho (Mt 12.28; Lc 11.20).

Conceitos nas escrituras para descrever demônios:
· daimon: para os gregos intervia entre Deus e os homens poderes sobrenaturais.
· deuses dos idolatras (Dt 32.17; I Co 10.20-21).
· reino das trevas (I Co 6.14; Ef 6.12), falsidade, impureza, sidim.
· Seirim (Lv 17.7).
· Lilito (Is 34.14).

Sidim, Seirim, lilito – nomes Hebraico, referente a demônios. Durante toda história houve relatos sobre polterghat.
Os confrontos que Jesus tinha com os demônios, era apenas acomodação de Jesus e Jesus fingia, dizem alguns Teólogos.
Os demônios reconheceram Jesus pelo poder, e não pela forma, porque Deus é espírito e Espírito não tem forma.

Demônios e fantasmas:
· materializam-se os demônios?
· Poder de Cristo.
· Doutrinas de demônios I Tm 4.1.
· Demônios são as causas das enfermidades?.

Segundo a tradição antiga demônios eram almas dos falecidos Gn 6, onde os filhos de Deus tiveram filhos com as mulheres (nefilins), pessoas malvadas, que pereceram com o dilúvio, mas estes espíritos e voltaram a ser demônios (visão filosófica).

Materialização: Os anjos podem se materializar-se, mas os demônios não.
Os anjos bons não podem possuir pessoas. Eles se materializam.
Os anjos maus podem possuir pessoas, mas não se materializam.
Os maniqueus colocam o diabo em igualdade com Deus, como o bem pode ser mau e o mau pode ser bom.
A doutrina que devemos aceitar como verdadeira que é, é aquela que glorifica Cristo como único salvador. Alem dessa é de demônios.

Estudo Gn 6.1-4

Assunto: Os Filhos de Deus.

Com o transcorrer do tempo, a separação entre os descendentes de Sete e de Caim cessou por causa do casamento das duas linhagens (6.2). a união dos piedosos com mulheres incrédulas foi motivada pela atração físicas de tais mulheres. Sem mães piedosas, a descendência de Sete degenerou-se espiritualmente.
Os filhos dos casamentos mistos eram “gigantes”, pessoas que se destacavam pela violência. Exaltavam-se a si mesmo, cada um procurando ser “valente”. Corromperam a terra com sua imoralidade. Chegou o momento quando a família de Noé foi a única que cumpria as normas morais e espirituais de Deus. Parece que satanás ao ver que não pode destruir a linha messiânica pela força bruta no caso de Abel, agora procura extingui-la mediante casamento misto; e por pouco não teve êxito. E Deus sentiu pesar em ter feito o homem, e determinou Deus destruir a geração perversa e Deus determinou que o homem teria apenas 120 anos de vida que serve para se arrepender dos seus pecados (6:3).
Em tempos mais remotos alguns pensavam que os filhos de Deus em Gn 6. 2 eram anjos caídos, mas nenhum comentador moderno de confiança adota essa idéia, exceto o dr. Bullinger. É claro que havia nesse tempo duas raças distintas: a descendência de Sete e a de Caim. Os expositores modernos concordam que os filhos de Deus eram a descendência de Sete. E os filhos dos homens eram a descendência de Caim.
Mais existe mais dois ponte vista de interpretação deste assunto a primeira referi-se aos governantes reais, esta tese supõe que a expressão “filho de Deus” e essencialmente outra forma para palavra governante. Por que em alguns versículos da Bíblia refere-se aos reis como filho de Deus (Sl 2.7; 89.19; 2 Sm 7.14; 1 Cr 17.13; 22.10). culturas antigas do Oriente Médio muitas vezes referiam à realeza como descendentes dos deuses, principalmente no Egito.
A segunda referi-se aos anjos caídos como sendo os filhos de Deus, baseados em alguns versículo da Bíblia (Jó 1.6; 2.1; 38.7; Dt 32.8; Dn 3.25).




Satanás era um belo anjo chamado Lúcifer?

A QUEDA DE SATANÁS:

Is. 14 – Rei de Babilônia.
Ez. 28 – Rei de Tiro.
· Alguns afirmam que Lúcifer era o regente do coro celestial com base nos nomes dos instrumentos relacionados em Ez. 28.13.
· A Bíblia em lugar afirma que satanás era Lúcifer.
· Um a leitura destes dois textos suscita dúvida a teoria de que Lúcifer é satanás.
· Rei de Tiro é um homem que age como um deus (Ez. 28), não passa de homem e não és Deus (2).
· Satanás não é homem e nem deus, mas e lider dos anjos caídos (Mt 25.41; Ap 12.7-9).
· Ez . 28 descreve o rei de Tiro – 25-32 denuncia várias nações (Amom, Moabe, Edom, Filistia e Egito).
· O livro parece emprega uma sarcástica e hiperbólica contra o rei, que representa a cidade de Tiro. O rei como metonímia (trasnominação) par a cidade, é retratado como possuidor de grande beleza e glória devidas à riqueza da cidade. Ezequiel em tom sarcástico faz menção ao rei de Tiro como quem vive em meio de pompa e beleza: com um Querubim na presença de Deus.
· Deus castiga o rei não somente por orgulho, mas também pela desonestidade nos negócios (v. 18) isso dificilmente seria verdade com relação a Lúcifer ou satanás.
Alguns: esta passagem refere-se a um rei humano, mas sustentam que num sentido mais profundo, descreve a origem de satanás por causa da alusão ao jardim do Édem e a ideia de um anjo glorioso se corrompendo.
Outra passagem para apresentar satanás/Lúcifer é II Co 11.14 “anjo de Luz” – por causa de sua habilidade em enganar – o texto não diz nada sobre ele caíu nem se era um anjo virtuoso e belo, portador de luz chamado Lúcifer. Lc. 10.18 a queda de Satanás como um relâmpago refere-se à sua queda repentina em relação ao ministério de Jesus de estabelecer o reino de Deus na terra.
· O texto não indica claramente em nenhum lugar que satanás uma vez foi um anjo chamado Lúcifer.
· O significado da palavra Lúcifer: Hb – Hêlel – deriva do verbo brilhar, que significa “aquele que brilha” ou “estrela d’alva – Lúcifer é a versão latina dessa palavra.
· Foi introduzido em Is. 14 pelos pais da Igreja – a Bíblia vulgata emprega a palavra Lúcifer para a expressão “luz da manhã”.
· Isaias poderia estar utilizando um mito popular babilônico, porem faz mudanças: substitui o deus caído hêlel pelo rei da Babilônia – essa técnica seria começar a falar sobre uma figura folclórica popular e depois substituir seu nome pelo de um líder nacional.,
· Hêlel foi precipitado no abismo Is 14.15 – No AT, abismo em geal denota um local de suplantamento ou um prisão (Sl 28; 30.3; Is 24.22, compare Ap 9.1) se esta passagem descreve a queda original de satanás como pode ele ter sido lançado no abismo e posteriormente encontrado acusando Jó diante de Deus?

Como chegamos à afirmação dogmática de que satanás era um anjo bom chamado lúcifer?
· A tradição judaica não faz uma ligação clara entre satanás a Is. 14 antes do ano 100 d.C. em II Enoque 29 “satanás foi arremessado das alturas, junto com seus anjos no segundo dia da criação. Ele era a arcanjo que deseja o impossível – colocar seu trono acima das nuvens, tornando-se igual àquele que mais tarde o expulsou do céu.
· Satanael era o antigo nome judaico para satanás, antes da queda. Ele perdeu o EL (Deus) quando caiu.
· Orígenes pai da igreja Séc. III – parece ser responsável pela popularização da teoria de Satanás – Lúcifer entre os cristãos.
· Muitos resistiram a teoria de Orígenes – um bispo cristão ate o sec. IV podia ser chamado de são Lúcifer e seus seguidores serem chamados de luciferianos.
· Atualmente a teoria de satanás como Lúcifer tornou-se “verdade evangélica” sem nenhuma evidência bíblica sequer. Isso não é negar que satanás seja um anjo caído, mas precisamos questionar nosso fundamento para chamá-lo de Lúcifer (como satanás caiu?).


rci//rv
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário